Aviões

Factos e curiosidades sobre os aviões que são usados na Red Bull Air Race World Championship

Concebidos para serem no ar o mais ágeis possível, os aviões que competem na Red Bull Air Race World Championship estão na linha da frente da tecnologia aeronáutica.

Construídos para serem o mais leves possível e oferecerem ao mesmo tempo a máxima velocidade, estas aeronaves têm de ser também extremamente robustas e suportar uma pressão até dez vezes superior à força da gravidade (10Gs).


Estes aviões a hélices apresentam uma elevada capacidade de manobra, conseguindo subidas vertiginosas a alta velocidade e com muito pouco esforço – algo que nem os mais modernos aviões a jato conseguem igualar.


Nos anos anteriores, as equipas eram autorizadas a modificar os seus aviões. No entanto, em 2014, os motores e hélices passaram a ser iguais para todas as equipas. O motor Lycoming Thunderbolt AEIO-540-EXP e a hélice de três pás Hartzell 7690 adaptaram-se às especificações exigidas, depois de rigorosos testes. Desde modo, as equipas têm concentrado os seus esforços no aperfeiçoamento da aerodinâmica, bem como na performance e capacidades dos pilotos.

 

EDGE 540: ZIVKO AERONAUTICS, EUA

O Edge 540, produzido pela Zivko Aeronautics, junta precisão, controlo e agressividade. Este pequeno avião de um lugar é o preferido entre os pilotos da Red Bull Air Race, em grande parte devido à sua fuselagem.

Com um chassis em aço otimizado em computador, o Edge 540 é extremamente leve, durável e fácil de manter.
A sua popularidade é muito devida ao piloto norte-americano Kirby Chambliss, um dos primeiros a usar o Edge 540 em competições acrobáticas. Entretanto, este avião evolui significativamente.

Edge 540

COMPRIMENTO: 6.3m

ENVERGADURA:7.44m

ROLL RATE: 420°/seg

TAXA DE SUBIDA: 3,700pés/min

VELOCIDADE MÁXIMA: 425.97kph (230kts)

MAX G: +/-12G

DESIGN ASAS: Simétricas, em fibra de carbono

PILOTOS V2: Bolton, Goulian, Ivanoff, Le Vot, Podlunsek e Velarde

PILOTOS V3: Chambliss, Dolderer, Hall, Kopfstein, McLeod, Muroya e Sonka

Desde o início da época de 2014, muitos pilotos evoluíram para a versão Edge V3. O V3 é diferente do 540 normal em vários aspetos:
Oferece uma maior tolerância às forças G e as suas formas foram melhoradas em termos aerodinâmicos para reduzir o atrito.
 

MXS-R

O MXS-R representa o expoente máximo em design e tecnologia. O "anti-Edge", como é conhecido no meio, foi desenvolvido informaticamente tendo como foco a aerodinâmica. O que o destaca é acima de tudo o facto de ser construído em fibra.

COMPRIMENTO: 6.51m

ENVERGADURA: 7.32m

ROLL RATE: 420°/sec

TAXA DE SUBIDA: 3,500pés/min

VELOCIDADE MÁXIDA: 425.97kph (230kts)

MAX G: +/-14G

DESIGN ASAS: Simétricas, em fibra de carbono

PILOTOS: Brageot

Extra 330LX

O Extra 330LX é um avião de dois lugares, monomotor de asa baixa, que oferece uma excecional capacidade acrobática. Apesar de ter começado apenas a ser fabricado em 2013 já está certificado para Acrobacia Ilimitada e é usado por todos os pilotos da Challenger Cup. A estrutura é maioritariamente em fibra de carbono, possuindo uma roda direcional ultraleve na cauda. Já a fuselagem usa aço para garantir a máxima durabilidade. Em termos gerais, o Extra 330LX é um avião leve e robusto que é ideal para os novos pilotos da Red Bull Air Race.

COMPRIMENTO: 7.2m

ENVERGADURA: 8.0m

ROLL RATE: 400°/sec

TAXA DE SUBIDA: 3,200pés/min

VELOCIDADE MÁXIMA: 405kph (219kts)

MAX G: +/-10

DESIGN ASAS: Simétricas, em fibra de carbono

PILOTOS: Todos os pilotos da Challenger Class