Cristian Bolton

Informações sobre o piloto

Biografia do piloto

Race team

Cristian Bolton é o primeiro chileno a integrar a Master Class na Red Bull Air Race World Championship. Mesmo antes de competir no nível de topo pela primeira vez no Indianapolis Motor Speedway, em outubro de 2016, Bolton fez história na América Latina na classe Challenger, conquistando lugares no pódio em oito corridas, incluindo o terceiro lugar na final da Challenger Cup em 2015. Esse é apenas o capítulo mais recente da história para o antigo tenente-coronel condecorado pela Força Aérea chilena.

Filho de um piloto da Força Aérea, desde pequeno que Bolton sonhava também voar. Alistou-se na Força Aérea chilena aos 18 e poucos anos mais tarde já era um dos melhores pilotos de combate, dirigindo diversos aviões em vários esquadrões e ganhando distinções como o prémio Top Gun. O chileno chegou a Instrutor Chefe na Academia da Força Aérea do Chile e na Escola de Caças Táticos.

O sonho de Bolton atingiu um novo patamar quando participou na prestigiada equipa de demonstração acrobática da Escuadrilla de Alta Acrobacia Halcones ("Falcões"), emocionando multidões em todo o mundo e terminando a sua carreira militar de mais de duas décadas como Comandante de Esquadrão da equipa.

Instrutor certificado de voo acrobático no Chile e nos EUA, Bolton é reconhecido pela Federação Aeronáutica Internacional como o melhor piloto acrobático chileno e é também um dos melhores pilotos de acrobacia aérea na categoria Ilimitada em toda a América Latina. É diplomado em engenharia, aeronáutica militar e recursos humanos.

Tendo acompanhado a Red Bull Air Race desde que esta começou em 2003, Bolton viu chegar a sua oportunidade de tentar competir em 2014, quando foi aberta a classe Challenger.  O chileno conquistou o segundo lugar logo na sua terceira corrida, tornando-se o primeiro piloto latino-americano a aceder ao pódio na Red Bull Air Race. Bolton obteve a sua primeira vitória na classe Challenger em 2015, na primeira prova da temporada, em Abu Dhabi, outro marco para a América Latina.

Bolton foi nomeado piloto suplente na Master Class na temporada de 2016, sendo convocado para voar nas duas últimas provas do Campeonato Mundial, em Indianápolis e Las Vegas, antes de ser confirmado como membro efetivo dessa classe em 2017.

As mais de 4.600 horas de Bolton em diferentes corridas, aviões acrobáticos e militares fizeram dele um concorrente flexível e determinado.

Na sua primeira época completa na Master Class o piloto chileno chegou por duas vezes à Ronda de 8, terminando no 13º lugar da classificação geral. Agora a prioridade é melhorar o seu avião para poder sonhar no próximo ano com a conquista de lugares no pódio.